23 de junho de 2016

"CRIAR UM HERÓI PARA DEPOIS MATÁ-LO"

O SEG propôs um contrato de três lutas, mas Rorion manteve-se firme: só negociava uma de cada vez: "Eles queriam botar uma luta fácil aqui, outra fácil ali e, na terceira, uma pesada para arrebentar o Royce. Criar um herói para depois matá-lo", conta. Meyrowitz sabia que, com o contrato de uma luta, Rorion pediria uma bolsa maior a cada vitória do irmão.


Fellipe Awi (Filho Teu Não Foge à Luta; pág: 192)

Nenhum comentário: