12 de outubro de 2013

AMAR O PRÓXIMO COMO A SI MESMO

Amar o próximo como a si mesmo encerra a totalidade dos mandamentos divinos. Aceitar esse preceito é um ato de fé; um ato decisivo, pelo qual o ser humano rompe a couraça dos impulsos, ímpetos e predileções "naturais", assume uma posição que se afasta da natureza, que é contrária a esta, e se torna o ser "não natural" que, diferentemente das feras (e, na realidade, dos anjos, como apontou Aristóteles), os seres humanos são. Aceitar o preceito do amor ao próximo é o ato de origem da humanidade, é a passagem decisiva do instinto de sobrevivência para a moralidade. Amar o próximo como se ama a si mesmo torna a sobrevivência humana diferente daquela de qualquer outra criatura viva.



Zigmunt Bauman (Amor líquido)

Nenhum comentário: