16 de novembro de 2010

TALVEZ NÃO HAJA NENHUM JUÍZO FINAL...


Você sabe que não me assusto com profecias do fim do mundo, coisa que certamente também se aplica a você. Mas isso que chamamos de profecias autorrealizáveis me enche de pavor. Pois talvez não exista nenhum céu novo e nenhuma terra nova. Talvez não haja nenhum "juízo final" com a redenção dos crentes. Talvez este planeta seja o único que temos, o nosso único lar e a nossa única pertença. Neste caso, não há nada mais importante que a nossa responsabilidade por ele e pela sua biodiversidade.


Jostein Gaarder (O Castelo Nos Pirineus; pág: 67)

Nenhum comentário: