17 de março de 2016

A LIBERDADE QUALIFICA O RELACIONAMENTO

Deus intervém, mas não manipula; age, mas não condena ninguém ao inferno. A liberdade do homem é terrivelmente real, refletindo a liberdade do próprio Deus; é o encontro dessas liberdades que qualifica o tipo de relacionamento que Deus propõe experimentar com o homem. Deus não escolhe se definir por seu tremendo poder, mas pelo esvaziamento de poder, conforme exuberantemente manifesto na encarnação e na carne de Jesus. A missão do sistema do teísmo aberto é libertar Deus das amarras de sua soberania e a devoção cristã das contradições impensáveis do determinismo.



Paulo Brabo (A Bacia das Almas; pág: 190)

Nenhum comentário: