14 de agosto de 2015

SOBRE EMOÇÕES

Para assumirmos o controle, temos de nos conscientizar de quando estamos agindo emocionalmente. As emoções são o que motiva nossas vidas. Organizamos nossas vidas para maximizar a experiência das emoções positivas e minimizar a das negativas. As emoções motivam todas as escolhas importantes que fazemos. Elas podem anular o que a maioria dos psicólogos considera os motivos essenciais que impulsionam nossas vidas: fome, sexo e o instinto de sobrevivência. As pessoas não comerão se acharem que o único alimento disponível é repugnante. Elas podem até morrer, ainda que outras pessoas possam considerar o mesmo alimento saboroso. A emoção triunfa sobre o impulso da fome. O impulso sexual é notoriamente vulnerável à interferência das emoções. Uma pessoa pode nunca tentar o contato sexual por medo ou aversão, ou pode nunca ser capaz de consumar um ato sexual. A emoção triunfa sobre o impulso sexual. E o desespero pode subjugar até a vontade de viver, induzindo ao suicídio. As emoções triunfam sobre a vontade de viver. Em resumo, as pessoas desejam ser felizes. Não desejam sentir medo, raiva, aversão, tristeza ou aflição, a menos que seja nos limites seguros de um cinema ou entre as páginas de um romance. No entanto, não podemos viver sem essas emoções; a questão é como lidar melhor com elas.


Paul Ekman (A Linguagem das Emoções: págs; 15, 16 e 17)

Nenhum comentário: