30 de julho de 2015

1 + 1 = 3

Ao ver o anúncio, o consumidor compreende: 1) a mensagem do título; 2) a mensagem da imagem; então, acontece a mágica: ao unir o título à imagem, surge uma terceira ideia, mais poderosa que uma e outra separadamente. [1+1=3]

O excesso de redundância torna a peça chata, repetitiva e desinteressante. É preciso que o anúncio dê espaço para o consumidor pensar, refletir e concluir o pensamento proposto pelo criativo ao fazer aquele anúncio. Esse pensamento criativo, ao propor interatividade com o leitor, aumenta, em muito, a capacidade de comunicação, uma vez que envolve o consumidor no próprio processo comunicativo. É importante ter em mente, entretanto, que quanto mais elementos se colocam em um anúncio, mais ele perde impacto; dessa forma, a regra é: só coloque elementos extras se eles acrescentarem algo ao processo de comunicação.

Acredita-se que a assinatura deve levar a logomarca anunciante porque conclui a mensagem publicitária e, ao mesmo tempo, reforça a marca anunciante. A parte mais importante da informação está concentrada na parte final do anúncio: a assinatura da campanha, a logomarca do anunciante e seu slogan.


Celso Figueiredo (Redação Publicitária; Sedução pela Palavra; págs; 21, 23, 25, 30, 48 e 60)

Nenhum comentário: