26 de fevereiro de 2015

A URBANIZAÇÃO COMO FORMA DE ABSORVER O EXCEDENTE DE CAPITAL

Várias das crises financeiras desde 1970 foram provocadas por excessos nos mercados imobiliários. A taxa composta de crescimento [3%] que está no cerne do modo de produção capitalista não pode ser alcançada sem antes estabelecer as condições físicas de infraestrutura necessárias. Um crescimento econômico liderado por exportações para alguns países exige transporte prévio adequado e instalações portuárias, assim como uma fábrica não pode funcionar sem o fornecimento adequado (e, às vezes, abundante) de insumos de água e energia, além de transporte e infraestrutura de comunicações, que permitem a continuidade da produção sem estrangulamentos demais no fornecimento de insumos (incluindo o trabalho) e na comercialização do produto. Os trabalhadores também têm de viver, fazer compras, educar seus filhos e satisfazer suas necessidades de lazer em algum lugar razoavelmente perto. A vasta infraestrutura que constitui o ambiente construído é um pressuposto material necessário para a produção capitalista, a circulação e a acumulação avançarem.

A sobrevivência do capitalismo, em suma, depende do investimento na organização e financiamento de infraestrutura adequadas para manter a taxa de crescimento composto. O capital tem de criar um cenário adequado para suas próprias necessidades - uma segunda natureza construída à sua própria imagem - em um dado momento, só pra revolucionar a paisagem em um momento posterior, a fim de acomodar uma maior acumulação numa taxa composta.

Mas que incentivos existem para o capital investir nessas infraestruturas? Uma taxa adequada de retorno monetário é a resposta óbvia, e isso significa que o pagamento para a utilização dessas infraestruturas tem de ser extraído de alguma forma daqueles que delas se beneficiam. A base de tributação deve aumentar à medida que o capital privado responde positivamente a possibilidades geradas pelas novas disposições de infraestrutura.


David Harvey (O Enigma do Capital, pág: 76 e 77)

Nenhum comentário: