22 de março de 2012

JULGAMENTO FINAL

Por: Diego Cosmo

Invariavelmente em vida, mais cedo ou tarde haveremos de fazer jus ao que nossos olhos já viram, como canta Azevedo"se o dedo de Deus aponta não posso fazer de conta que quem sofre é feliz", até lá surgem ocasiões/conflitos que não são suficientes em nos mobilizar a viver conforme nossa interioridade, que por sinal seria bem imoral em frente a sociedade. É provável que o nosso travesseiro saiba mais de nós do que um grande amigo... Nossa história é marcada desde a infância por máscaras e por múltiplas intenções, chegamos até a nos acostumar com isso porque satisfazem nossa necessidade de ser aceito, assim nos submetemos as exigências morais da comunidade que estamos inseridos, exigência irresponsável visto que tem pouquíssimo vinculo com a verdade, no geral se aferra a lei e a cristalização, logo morte. O que nos constrange no fundo da alma é nos flagrarmos em nossas mentiras, embora paradoxalmente há grandes possibilidades de nos encontrarmos em nossos disfarces que refletem nossas interioridades, nossas vestimentas em última análise são feitas por nossas entranhas, nossas mentiras acabam por falar de nós mesmos. Então, eis uma utilidade para a hipocrisia.

"Para a verdade, melhor é a hipocrisia do que a utopia. A hipocrisia expõe e a utopia acoberta." 

Nilton Bonder

Talvez toda nossa sede de concluir, de aferrar-se à crenças para a vida criar chão, da procura de regras, algo sagrado para se justificar, de dar corpo ou de cristalizar seja uma reação em frente nossa absurda liberdade, dai nossa dificuldade em nos voltarmos para o que é interior, chega a ser assustador e nos desencontramos, a pior perda é a perda de sentido.

"O texto frio da lei é fluente no simulacro da moral. A letra grafada e morta não vasculha corações nem pergunta por afetos, não ilumina interioridades nem chora misérias, mata."

Elienai Cabral Jr.

Fruto de todo esse conflito de roupa e nudeza é o que projetamos, o Eu que todos vêem, é o que se ver com os olhos mas não se enxerga com a alma. Na aproximação do que nos faz vestir-se e do que nos desnuda consistirá o tão falado julgamento final, será quando nos veremos com Deus e estaremos salvos de escutar o "Eu nunca vos nunca conheci", pois finalmente, pela aproximação de corpo e da alma estaremos sendo imago dei, em nosso mais intrínseco encontro é que seremos reconhecidos no Edén.


OBS: Posto que o texto é um flash, uma cristalização dum momento do fluxo constante de pensamentos, confesso que as ideias expressas nesse texto é de natureza frágil, portanto abertas eternamente a novas formulações.

3 comentários:

Joguete do Destino disse...

Acho que é por isso que eu sou tão estranha, passei muito tempo tentando ser aceita numa sociedade que exigia/exige de mim algo que eu não sou e que não quero ser.
Consequência: escarrada do meio social por não seguir os padrões do qual todos seguem inconscientemente.(mas entra a questão de quem está errado, eu ou toda a sociedade de comportamento gado? Provavelmente eu, claro!! Cadê a camisa de forças??)
Apesar de que, claro, máscaras para mostrar alegrias e simpatia continuam sendo usadas,(muitas vezes, sem eficiência alguma, sou péssima em fingir) até pq somos seres sociáveis, mesmo que essa sociabilidade seja construída sobre uma grande hipocrisia.
E a hipocrisia convêm, a utopia é sinal da mais profunda insatisfação humana em relação a tudo o que temos,a falta de confortabilidade de sermos quem somos,de termos o que temos, ou seja, de quem não tem paz interior, o que é lamentável e comum.
Esse teu texto nos leva a profundas reflexões, muito complexas por sinal, a questão do homem viver se regrando mesmo tento uma liberdade imensa pela frente, e sobre o juízo final, vivo pensando em como será, mesmo eu buscando sempre viver na verdade, quando Deus "abrir as cortinas do meu ser", eu quero muito ver o que eu guardo lá dentro.

(sobre o seu 'OBS', idem.)
Abraço, Ana Karoline.

Diego Cosmo disse...

Q isso.. Como vc mesma deve ter percebido com certeza, o que te fez se sentir assim, esta numa construção social. Então deixa dessa ideia, é uma mentira! :)
A questão do certo e errado é meio relativa, embora eu não me identifique com a "sociedade gado", há alguns ciclos em que me identifico mais fazendo assim eu me inserir numa sociedade. O Leo Carona, por exemplo, suponho que vcs se identifiquem, dai vc não é uma estranha e nem excluída.

Acho que somos seres sociáveis por natureza, é de nossa índole vivermos em comunidade. Hoje podemos ver nossas interações sociais repletas de mentiras, acho q em última análise, pelo sistema em que as coisas funcionam.. Ele tende a construir personalidades assim, voltadas para o exterior, a aparência etc.. A verdade e a essência ficam como secundárias.

É.. A maioria das utopias são lamentáveis, nascem duma necessidade nada nobre. Hoje os que se aventuram em carreiras idealistas conta-se nos dedos, que eram até de certa forma utópicos mas era uma utopia que impulsionavam mudanças revolucionárias! Já os carreiristas de carteirinha tem de monte e no geral só fazem dar manutenção a máquina..

O lance da liberdade é interessante, temos e ao mesmo não temos, não temos pois sempre despertamos sentimentos que nos faz pensar coisas do tipo: "não posso perder isso", "tenho que ter aquilo", "não posso deixar de fazer.." etc.. E temos pq enfim, no fundo, podemos sim viver sem essas necessidades, a necessidade em si gera uma especie de limitação, ou "prisão", dai nossa liberdade vai tomando forma. Vai ver liberdade é isso mesmo, termos a capacidade de nos moldar nesse sentido, se isso não for sendo construído via TV, por exemplo.

Quanto ao juízo final em que me referi no texto, diz respeito a uma nudeza que acaba por qualificar o relacionamento com Deus, em que esse relacionamento se torna algo mais consciente, mais transparente por agirmos conforme somos independente de perdas ou ganhos em qualquer esfera existencial. O juízo final seria com nós mesmo, vc pode abrir as suas cortinas e ver o que tem lá dentro! Podemos dizer que Deus está só a bater a porta, ou a janela né! ^^

Abração!!

Joguete do Destino disse...

Que que isso?!? :O
Diego, a gente produziu praticamente uma outra postagem!! rsr

valew a resposta ;)
bj.