22 de março de 2012

EXISTÊNCIA

Meu amor não espera o capítulo seguinte
Para ser revelado. Não é novela.
É simples, acredita em anjos, padres e capelas.
Confesso até o mais secreto de mim, ouvinte:

Meu amor é silencioso e sorrateiro
No começo. Quer e fica mudo. Deseja
E cala. Agora, dê-me algumas cervejas
Que ele fala e grita corre verdadeiro.

Meu amor desejo que ninguém conheça.
Cuidado, está dentro da minha cabeça.
Profundo. Mas há um jeito de encontrá-lo.

Atente, por sua conta e risco, ao embalo
Das circunstâncias da vida do ser humano que sou
E veja que meu amor está em tudo e, na verdade, estou.


Nenhum comentário: