28 de fevereiro de 2012

ESPERANÇA


Não tenho nada em meio a tudo
Só a carcaça
Parece surrada
Não tenho casa, mas tenho filhos
E sobrevivem mesmo sem abrigo

Não é lenda, não é crendice, não
Pura verdade
Quem é fraco não resiste
Tem que ser forte
Muito guerreiro
Que desarmado não se entrega ao desespero

E vai à luta de peito aberto
Matando a sede nas areias do deserto da vida
Que testa cada dia
O poder de se manter viva
A minha esperança
Que tudo vai girar
O vento vai bater
E a direção mudar

E eu sigo, eu sigo com minha esperança
Que tudo vai clarear
O jogo reverter
E mais justo ficar


In Natura (Carcaça)

Nenhum comentário: