18 de agosto de 2010

NOVA ORDEM MUNDIAL = TRANSE CULTURAL

Por: Diego Cosmo
A inofensividade contemporânea das pessoas perante o descaso do governo e a injustiça social se deve basicamente ao sucesso do capitalismo "selvagem" que cresceu, se desenvolveu e continua a se desenvolver, da mesma forma que os peões do xadrez são peças chave para o xeque-mate e os soldados da linha de frente são essenciais para a vitória na guerra, o "povão" é parte essencial para que o sistema todo se mantenha vivo.

Devo confessar que é excepcional a forma como são e ainda é articulada os instrumentos para que se perpetue o poder, seja do governo ou outra área que dependa do convencimento por meio do interesse próprio e da manipulação para sobreviver. Usa-se dos outros, no mínimo, a vaidade e a falta de caráter como ponto de partida para projetarem o que farão para que eles, ignorância fruto já das desigualdades... Entenda-se que por "outros" e "eles" signifique a maioria das pessoas, fazem que tais vejam o mundo a sua volta de forma que não possam oferecer ameaça alguma aos do topo da pirâmide e no modo como as coisas andam.

Acabou a muito tempo o governo que visava cuidar e beneficiar as pessoas como prioridade, se é que já existiu, os que fizeram esforços para uma melhoria na humanidade como Gandhi, Martin Luther King e até Jesus Cristo entre outros acabaram mal, pode-se entender como capitalismo selvagem esses fatos também.

Com a perda da humanidade na humanidade os nossos valores essenciais foram corrompidos, hoje é valorizado quem tem algo a mais, o que compra e os que andam na passarela do que a maioria dita enquanto os que se preocupam com as condições sociais e políticas são tidos como retrógrados, geralmente os que buscam sempre estar com status perante a sociedade ou em seu ciclo social com princípio de vida, esses são os mais desumanos e egoístas da forma mais repugnante, muitas vezes não por maldade mas por simplesmente não se importarem com o que rola ao seu redor, pois estão preocupados com pequenas coisas de natureza estritamente pessoal...

E é nisso que consiste a inofensividade cruel e o sucesso da engenhoca das ferramentas de perpetuação do poder, fazendo-nos sermos cúmplices da desumanidade, pois para ser um humano no seu mais profundo significado deve-se ser amoroso. Eis o desafio...

7 comentários:

Facundo disse...

só lembro da afirmação do velho trasímaco, do livro a república (do pLatão) sobre o que é justiça... ele não titubeou e respondeu na lada:

"Simples, justiça é a conveniência de quem tem poder... e só"

hehehehehehe

Mas é horrível ver tanta gente beijando filho de pobre com nojo só para conseguir o que uqer... e o povo ainda se comove... que merda ein!?

Lucas Queiroz disse...

Isso mesmo Diegão(vulgo dieguim)! hehe
O contrário do amor não é a dor ou desprezo, e sim a indiferença!

Vivemos num mundo cheio de nichos e tribos sempre lutando pela sua sobrevivência e olhando pro seu umbigo!

Sylvio de Alencar. disse...

Completando o que disseram acima: e tudo isso que acontece atualmente, decorrente da indiferença, foi acontecendo paulatinamente mas de maneira firme principalmente neste governo, que explorou o que temos de pior.

Abração, Dieguito!

Diego Cosmo disse...

Poise caro George... Um grande problema dessa história é um holismo perverso que existe por trás das ações desses magnatas... Basicamente eles constroem um mundo dentro da cabeça de alguns.
aí é covardia...

Diego Cosmo disse...

é Lucas... o problema que esse mundo atual "cheio de nichos e tribos importando-se somente com o umbigo", Talvez! Nao tenha sido uma tendência natural, mas sim algo estimulado e articulado para que as coisas fossem assim hoje...

Diego Cosmo disse...

E ai Sylvio! acho que o governo muda de acordo com a população, o problema é que geralmente a população não faz nada também... Daí pra que o governo iria se preocupar muito...?

Wendel Cavalcante disse...

Muita gente vive literalmente em trevas!
Temos a opção de seguir ou não o curso da corrente.
Lembrei agora do Milton Nascimento cantando:
"Manhã, despontando lá fora
Manhã, já é sol, já é hora
E os campos se abrindo em flor
Que é preciso coragem
Que a vida é viagem
Destino do amor".
Não podemos nos calar! Temos que dizer ás pessoas que já é "manhã, já é hora [...]que é preciso coragem" para mudar a nossa realidade!
Belo texto!
Abração!