25 de março de 2010

A ALIENAÇÃO ESPETACULAR


Essa transição estrutural para uma sociedade do espetáculo envolve a transformação em mercadoria de setores previamente não-colonizados da vida social, e a extensão do controle burocrático aos domínios do lazer, do desejo e da vida cotidiana. Para Debord, o espetáculo é uma ferramenta de pacificação e de despolitização; é uma "guerra do ópio permanente", que estupidifica os agentes sociais e distrai-os da tarefa mais urgente da vida real. O conceito de Debord de espetáculo está intimamente relacionado aos conceitos de separação e passividade, pois em espetáculos consumidos passivamente o espectador é alienado de produzir ativamente a sua própria vida.


Douglas Kellner

Nenhum comentário: