19 de julho de 2009

A IGREJA

Por: Diego Cosmo

Numa igreja chamada Fafi Bar, na roda de amigos surgiu um bate-papo que me instigou a refletir sobre o assunto discutido na mesa. Tava no impasse de saber melhor o papel da igreja (instituição) na sociedade. Como em muitas instituições, sociedades, grupos etc... Naturalmente há vários indivíduos com uma mente diferente e um universo em cada mente, logo, nada mais normal do que interpretações e pontos de vistas vindo de muitos ângulos.

Na igreja já ouvi e vi casos de exclusão, essa palavra creio que nem deva existir no vocabulário Dele, críticas não construtivas, autopunição por simples ações humanas. E também histórias de acolhimento, companheirismo e o que eu acho mais importante, amor. Eu, por exemplo, tive a oportunidade de conhecer pessoas incríveis que até hoje estamos juntos nessa estrada da vida. Diante de todo esse embaraço: igreja apontando o dedo para os de lá, igreja iluminando mentes, igreja escarrando pessoas, igreja abraçando almas feridas, igrejas querendo desumanizar humanos ou salvar, talvez a igreja nunca seja um lugar da misericórdia divina por ser padronizada e falha por natureza.

Da mesma forma que geralmente tudo tem seu lado positivo e negativo, acredito na ideia de que Ele trabalha não só nos nossos acertos como em nossos erros, nos influenciando dentro dos nossos próprios sistemas, mexendo os pauzinhos em prol de sua essência. Tudo isso me fez lembrar de uma frase de Paulo Freire que pode se aplicar a igreja também, que diz: "A educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda". Se com igreja é ruim, pior sem.